How noteless Men, and Pleiads, stand...

Searching for Dark Matter in a Galaxy Cluster

How noteless Men, and Pleiads, stand,
Until a sudden sky
Reveals the fact that One is rapt -
Forever from the Eye -

Members of the Invisible,
Existing, while we stare,
In Leagueless Opportunity,
O'ertakeless, as the Air -

Why didn't we detain Them?
The Heavens with a smile,
Sweep by our disappointed Heads
Without a syllable -

Emily Dickinson,in «dark matter poems of space»
selecção de Maurice Riordan e Jocelyn Bell Burnell, Ed. Fundação Calouste Gulbenkian, p.214


Para APS, confiando que me ajudará a entendê-lo.

8 comentários:

  1. Obrigado,c. a.. O poema é-me desconhecido e não admira: E. D. tem mais de 1700 poemas...
    Onde estou, faltam-me as "ferramentas" de apoio
    para tentar descodificá-lo...Mesmo assim, alguma coisa mais direi...e também via "Correio
    Velho".

    ResponderEliminar
  2. Difícil a poesia de Emily Dickinson. Mas bela, muito bela.

    ResponderEliminar
  3. Sem dúvida, Analima. Mesmo descodificando de forma tosca (que é o meu caso) dá para perceber...

    ResponderEliminar
  4. O poema é belíssimo e difícil. Se pegarmos no dicionário o que resulta não fica tão belo... talvez porque algumas palavras desgarradas do conteúdo não façam tanto sentido e porque não uso a língua inglesa como se fosse a minha língua. No entanto, julgo que o sentido se absorve com a ideia que ele transmite.

    Despeço-me com - "The Heaven with a smile. :)

    ResponderEliminar
  5. Já somos dois, Ana... Grato pela visita.

    ResponderEliminar