In memoria

Donde é que vim que não guardo saudades de nenhum lugar?

Maria Ondina Braga, Estátua de Sal, Ulmeiro, p.78

5 comentários:

  1. Como já disse, vi-a, muitas vezes, passar do Camões para a Rua do Loreto, e tinha um ar muito "anos 3o". Conheço-lhe, pessimamente, a obra, mas sei que é uma das suas autoras predilectas, com a Irene Lisboa - por isso, estou consigo.

    ResponderEliminar
  2. Obrigado, APS. De facto são duas escritoras muito diferentes, mas gosto muito da obra das duas. E tenho aprendido com elas.
    Há um ano um leitor brasileiro, que não vejo por aqui há muito tempo, lembrou-me que Maria Ondina nasceu a 13 de Janeiro. Não ligo muito a datas, a começar pela data do meu próprio nascimento, mas talvez pela amabilidade de há um ano, esta ficou-me em memória e este ano lembrei-me.

    ResponderEliminar
  3. Curiosamente, são as 2 capricornianas. Isto dos signos, às vezes, tem que se lhe diga, ou como dizia o Eugénio: "não se escolhe, é-se escolhido."

    ResponderEliminar
  4. Gosto imenso da Dinah Washington! É um prazer enorme ouvi-la. Sempre.
    E o seu blog tem sp coisas boas...

    ResponderEliminar