Como a alma se faz água

Existes? não existes? imagino
como a alma se faz água
e o coração maravilha
quando na sombra da tarde
me atravessas pela vida.

Alberto Soares, Equilíbrio, Caminho da poesia, p.81


8 comentários:

  1. Gostei bastante do Blog.
    Muito interessante !

    É bom ver a cada dia que passa mais originalidade nessa "blogosfera". :)

    Deixo o meu aqui caso queira dar uma olhada, seguir..;
    http://bolgdoano.blogspot.com/

    Muito Obrigada, desde já !

    ResponderEliminar
  2. Obrigada, Amanda. Fico contente por saber que gostou :-)

    ResponderEliminar
  3. Creio que não se perturbam, excessivamente (:-)), um ao outro (o poema e o vídeo). A música é muito interessante. Obrigado, c. a..

    ResponderEliminar
  4. Espero que o suspiro seja sinónimo de deleite, e não de enfado... :-)

    ResponderEliminar
  5. pus isto há umas horas no Adágio... e estava aqui!.... Beijo
    T

    ResponderEliminar