Ansiosamente

Ansiosamente os pássaros invadem
o lado exterior da minha vida
Essa harmonia estranha

entra nos pensamentos
com que durante a noite repensei
a verdade da vida

A janela fechada
representa a manhã Dormir
a venenosa unidade impossível

Gastão Cruz, As leis do caos, Assírio & Alvim, p.30

8 comentários:

  1. O poema é belo e a música que o acompanha também.
    A noite é sempre o momento de se repensar a verdade! Na escuridão é que se vê melhor de onde vem a luz.
    Desculpe romper o silêncio.

    ResponderEliminar
  2. Obrigado, Ana. Não há que desculpar. Gosto de saber que gostou.

    ResponderEliminar
  3. Isto deve ser das Anas. É que eu gosto muito de Gastão Cruz. Quanto às imagens, bem, nunca imaginei que as mãos pudessem dançar assim... E isto depois de Brel... :)

    ResponderEliminar
  4. A improbabilidade é mesmo o lema da casa... :-)
    Muito obrigado, Analima!

    ResponderEliminar
  5. Linda escolha.
    Como é apanágio deste espaço, encantador.

    Um Grande Abraço,

    NBJ

    ResponderEliminar
  6. Obrigado, meu Caro NanBanJin! Já tinha saudades de o ler.
    Aquele Abraço!

    ResponderEliminar
  7. No geral, gosto das suas escolhas, embora nem sempre o diga. Falta de tempo.

    ResponderEliminar
  8. Obrigado, miss Tolstoi. Compreendo.

    ResponderEliminar