Um instante de nudez perfeita




Escrevo contra o vento,
frente ao mar.
Volúveis,
as mãos sondam
a salina intimidade das águas.

***

Há um instante em que a memória é estreita
para conter o mar, o sal, os navios,
a penumbra branca das gaivotas.

Um instante de nudez perfeita.


Albano Martins, «Assim são as algas», Campo das Letras, p.63-64.

4 comentários:

  1. O poema é simples e bonito bem como o quadro de Turner.
    Bem escolhido! Vou ter que arranjar um livro de Albano Martins.

    ResponderEliminar
  2. Turner é um dos meus pintores preferidos e aquele que mais associo ao mar. A poesia de Albano Martins foi, para mim, um verdadeiro «coup de foudre» :-)

    ResponderEliminar
  3. Turner é um dos meus pintores preferidos e gosto muito da poesia de Albano Martins.

    ResponderEliminar